Transtorno da ansiedade

"Lançamos sobre Deus a nossa ansiedade , pois Ele tem cuidado de nós." (I pedro 5.v.7)


 Hoje falaremos sobre um assunto que atinge mais 13% da população brasileira e somente 1% das pessoas tem conhecimento sobre o assunto (Segundo pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP) de Ribeirão Preto).

O transtorno da ansiedade e/ou distúrbio  de ansiedade é uma doença.  E tem que ser tratado; pois, se não tratar pode chegar ao um estágio de síndrome pânico.
 Recentemente  alguém bem próximo a mim, desencadeou a doença, a princípio não tratávamos como tal. Fomos a 5 especialistas (clínico, cardiologista, psicologo, e neuro e um clinico residente em psiquiatria) e todos unanimemente deram o mesmo diagnostico.  DISTÚRBIO DE ANSIEDADE. Por isso  resolvi postar sobre este assunto, pois muitos devem estar ou conhecem alguém que esteja passando por um problema de ansiedade e não sabem que é uma doença e precisam de tratamento. 

Vejamos:


A ansiedade é uma sensação derivada de momentos de preocupação, tensão e apreensão, sentida como antecipação a problemas. Quando esta sensação é experimentada em momentos estressantes, em que as pessoas se vêem frente a situações difíceis e decisões importantes, é considerada normal.
Mas a ansiedade passa a ser considerada um transtorno quando o indivíduo a experimentada de maneira exagerada, relacionada a preocupações excessivas e não realistas com situações que a maioria das outras pessoas enfrentariam com pouca dificuldade. Este transtorno costuma ser duradouro e crônico, ou seja, o paciente sofre com o estado de ansiedade elevado durante anos, com pequenos períodos de melhora.

Com o que não deve ser confundida

1. Com a ansiedade cotidiana, pois quase todos nós nos sentimos ansiosos e tensos em face de situações ameaçadoras ou estressantes, o que é absolutamente natural, pois preocupar-se e ficar ansioso é até mesmo importante para a boa adaptação individual à sociedade e ao ambiente.
2. Com o transtorno do pânico, pois embora alguns dos sintomas da ansiedade generalizada ocorram também no transtorno do pânico, onde os pacientes experimentam estados de ansiedade prolongada entre uma crise e outra, os pacientes de ansiedade generaliza não apresentam crises de pânico e sim estados permanentes e prolongados de desconforto ansioso.
3. Com a fobia social, pois embora esse transtorno tenha a ansiedade como um sintoma significativo, sua principal característica é o isolamento social a que o fóbico social acaba se impondo, o que não ocorre no transtorno de ansiedade generalizada.

Sintomas:

O indivíduo que sofre de transtorno de ansiedade generalizada apresenta:
Dificuldade para relaxar;
Sensação de que está no limite do nervosismo;
Tendência a cansar-se com facilidade;
Dificuldade de concentração e freqüentes esquecimentos;
Irritabilidade;
Tensão muscular;
Dificuldade para adormecer ou sono insatisfatório;
Preocupação com a possibilidade de doença grave ou acidente embora não existam indicativos de que essas coisas possam vir a acontecer;
Tendência a assustar-se com facilidade e de forma intensa sem motivos justificáveis;
Em alguns casos podem ocorrer sintomas físicos como: boca seca, mãos ou pés úmidos, enjôos ou diarréia, aumento da freqüência urinária, sudorese excessiva, dificuldade de engolir ou sensação de um bolo na garganta;

Tratamento:

O tratamento mais indicado é a combinação de psicoterapia com medicamentos tranquilizantes e antidepressivos. A terapia cognitivo-comportamental é a que mais vem sendo estudada e apresentado bons resultados.

Algumas frases típicas de indivíduos com níveis cronicamente altos de ansiedade:

o "Freqüentemente fico preocupado com a aceleração dos meus batimentos cardíacos."
o "Pequenos aborrecimentos me atingem e me irritam."
o "Sou muito preocupado e isto me deixa abatido."
o "Freqüentemente tenho crises de completa exaustão e fadiga."
o "Sempre tenho dificuldades para tomar uma decisão."
o "Parece que estou sempre prevendo algo terrível."
o "Sinto-me nervoso e agitado todo tempo."
o "Penso que não sou capaz de enfrentar minhas dificuldades."

Agora, tenho uma coisa importantíssima para lhe dizer:

Devemos confiar em Deus Pai Sempre! confiar em Deus Pai  é um privilégio. então devemos colocar nas mãos Dele todos os nossos cuidados pedindo lhe sabedoria afim de que sejamos sempre fiéis a Ele sempre e confiar que todas as coisas então em suas mãos, Ele é conosco sempre e nunca nos deixará só. Devemos procurar ajuda profissional? Sim devemos! Porém não podemos deixar de confiar em Deus Pai.


Por: Cristina Labre- Coach


Quer saber mais sobre o processo Coaching??? Escreva-se aqui!

Nome

E-mail *

Mensagem *